13 a 16, set. | 2022
São Paulo Expo | SP

Sustentabilidade em bares e restaurantes: veja exemplos de atuação e inspire-se

Por Paulo Scalabrin 

Como mudanças climáticas das mudanças ambientais ambientais, iniciativas como redução e reaproveitamento cada vez mais espaço em ambientes diferentes e economia. Neste sentido, São Paulo (SP) é o estado mais sustentável do país, de acordo com o Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades ( IDSC ), do Instituto Cidades Sustentáveis, que aponta os municípios que têm avançado no cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030, da ONU, nas cinco regiões brasileiras. Dos 20 que ocupam o topo do ranking, 18 ficam em SP.

Em meio às políticas de Ambientais, Sociais e Governança (ESG), pautando as atitudes de poder estar, das empresas externas e também do comércio, em segmentos de hospitalidade, como bares e restaurantes.

Localizado em Pinheiros (SP), o restaurante Purana.Co nasceu com o propósito de sustentabilidade por oferecer uma proposta de alimentação à base de plantas, preferencialmente orgânicas, e que conta com uma cadeia mais limpa, incluindo a atuação de parceiros. 

“Com delivery , elaborados os desafios das embalagens, então, inicialmente. Posteriormente, encontramos outros parceiros para embalagens feitas em exemplos orgânicos também compostáveis, como cana, por exemplo. Além disso, sopas e entregamos a uma política de vidros retornáveis, reversas e doces no estabelecimento, pontos que podem ser trocados por produtos, Thiago Purana fazer restaurante .

O reaproveitamento de vidros também é uma das dicas de Elen Souza, mixologista e consultora de bares, criadora da plataforma digital - que leva o seu nome - para falar de coquetelaria sustentável. “Quando o destilado é o comum, é possível reaproveitar as garrafas e as transparentes podem ser usadas para armazenamento de mais xaropes e outros ingredientes preparados no bar”, conta Elen.

Créditos de Imagem: WebVilla

Pelo site, a especialista tem auxiliares profissionais e estabelecimentos a repensarem a utilização de ingredientes e produtos por meio de cursos, mentorias e e-book. Além dos produtos, eles tiveram uma prática prolongada para alimentos e bebidas, que havia muito uso no balcão. começou, curiosamente, a incluir em receitas testes em cascata e como pessoas ficaram curiosas e interessadas em aprender. Em países, trabalham de forma sustentável têm sido muitos uma prática há anos, principalmente porque já têm uma cultura de separação de lixo e não possuem frutas em abundância, como acontecem por aqui. Quando os compradores desenvolvem essa prática significativamente, e não descobrem pelo mundo novos sabores de procedimentos que costumam ser bem aceitos pelos nossos, já que alteram os custos do bar e aumentam significativamente o lucro”.

Custódia? Este parece ser um dos gestores que atuam na forma sustentável exige grandes investimentos. Elen ressalta que o que é o tempo dedicado ao preparo dos ingredientes e recomenda “o ponto é que pode começar a pensar que os antes disso são mais valiosos, podem fazer mais valiosos: como posso no lixo? Outros espaços, ficar de olho nos resíduos, como fontes de necessidade, luz acesa em vazios. O ideal é começar pelo que pode ser feito no momento. Logo os resultados aparecerão e será possível fazer cada vez mais”.

 

Créditos de Imagem: Divulgação 

Assim como fundamentais nas práticas de negócios, as parcerias também são fundamentais nas práticas e porque a ESG também não está a propósitos aos propósitos. Neste sentido, é preciso desenvolver uma rede de apoio ou serviços já existentes que podem contribuir com a rotina de trabalho. “Vejo muitos bares usando o Cataki , um aplicativo onde você pode agendar um dia e horário para retirada de material reciclável”, recomenda a mixologista e consultora.

Na esteira de parceria ESG, Thiago destacou o Purana.Co desenvolveu um projeto social, em que um pedido recebido via plataforma de entrega do restaurante, é feito a entrega de uma refeição para pessoas em situação de vulnerabilidade. “Conseguimos fazer um case de entrega sem lixo, e um projeto de solidariedade e inclusão social com a doação de alimentos”.

A iniciativa também mobiliza os consumidores. “Sabemos que há um desafio grande para que as pessoas se envolvam cada vez mais, que tenham mais informações sobre como separar e destinar os materiais, por exemplo. É um processo educativo, que levará um tempo, mas resultará em algo em maior escala”, acredita Thiago.

Para Elen, os tipos de consumidores tentaram escolher um bar ou um restaurante. Segundo afirma, pesquisas exclusivas como “Tendências Globais de Consumo 2021”, da Euromonitor International, são mais demonstradas que o consumidor prefere pagar um pouco mais por trabalhos e produtos mais pequenos e que sejam mais perigosos.

“Sustentabilidade é apenas ficar de olho na sociedade, não seja, ela atua em três pilares, seja econômica e social, ou seja, para ser precisa para o meio ambiente e para o meio ambiente sustentável. No quesito inclusão social, atender e ter várias pessoas trabalhando juntas é enriquecedora para a cultura da empresa e o público que se identifica com os atendentes se sente mais acolhido e, com isso, permanece no restaurante”, finaliza Elen.

Créditos de Imagem: Louis Hansel 

Receitas

Para mostrar como algumas ações simples podem contribuir com a sustentabilidade, o mixologista apresenta duas dicas de receitas. Confira!

Xarope de abacaxi:

O abacaxi pode ser um dos grandes vilões no desperdício, mas é possível aproveitá-lo de várias formas. Para fazer um xarope de abacaxi sem precisar de qualidade do seu suco é só usar cascas. Veja como:

 

- Cascas de 1 abacaxi;

- 700ml de água;

- 300 g de açúcar;

 

Lave bem a fruta com uma escova e descasque.

Em uma panela com água, acrescente as cascas e ferva por cerca de 30 minutos. Passe pela peneira para um outro recipiente e meça o volume de chá.

Acrescente o mesmo peso volume do chá de açúcar até que todos os cristais e bens de peso.

Pronto! O preparo pode ser usado para adoçar o suco de abacaxi e receitas de bebidas, podendo substituir o substituto simples, o açúcar do café e acrescentado também em refrigerantes italianos.

 

Antiquado

- 60 ml de whisky (Bourbon ou Rye);
- 5 ml de xarope de abacaxi;
- 3 traços de Angostura.

- gelo

- amargo

- casca de laranja;

- folha de abacaxi

Coloque o xarope e o amargo no fundo de um copo baixo e misturado. adição gelo e uísque e mistura novamente por 10 segundos. Você pode perfumar com zest (raspa) de laranja e decorar com uma folha de abacaxi.

Como um dos principais pilares de tendências em hospitalidade, a Equipotel do setor na América Latina destacará como iniciativas de ESG e outras novidades que estão transformando eventos em bares, restaurantes, hotéis, resorts e pousadas. O evento acontecerá de 13 a 16 de setembro, no pavilhão do São Paulo Expo SP). Programe-se!