13 a 16, set. | 2022
São Paulo Expo | SP

Megatendências 2022 – Definindo o Futuro das Viagens

Todo ano aguardamos ansiosamente pelo estudo ‘Megatrends’ da Skift, um dos maiores portais de viagens do mundo.  E o Fundador e CEO do portal, Rafat Ali, começa o ano com a pergunta: ‘O que acontece agora?’, afirmando que esse é o sentimento da indústria de viagens, após anos desafiadores. 

Comemorando uma década de existência da Skift, ele descreve as mudanças que vimos acontecer no setor de viagens, alterando  a forma como viajamos, e até como vivemos.

·       Explosão do turismo em função da democratização das viagens globais através e dentro das fronteiras geográficas.

·       Centenas de milhões de pessoas sendo alçadas para a classe média e tornaram-se aspiracionais na forma como veem o mundo, e as viagens foram uma das maiores beneficiárias disso.

·       A ascensão dos viajantes chineses, e o overtourism.

·       Aluguéis de curto prazo (short term rental)

·       Geração online e as redes sociais como a lente para as viagens.

·       Economia sob demanda

E agora, pós pandemia, estamos vivenciando a redefinição dessas mudanças, com as viagens colidindo com alguns dos maiores desafios do presente e do futuro, como:

·       Mudanças climáticas

·       Crescimento equitativo e sustentável das viagens

·       Mobilidade humana

Por fim, ele afirma: ‘IGNORE OS PESSIMISTAS, MERGULHE EM 2022 COM OTIMISMO, INTENÇÃO E PROPÓSITO’. 

Entre as 14 tendências, selecionamos 3 para comentar no vídeo:

1) Monetização (ou melhor, financeirização) das viagens

2) Novos Padrões de Reservas criam novas oportunidades

3) Trabalho Remoto está definindo uma nova sociabilização das viagens de negócios

Abaixo aprofundo mais 3.

E claro, fica a sugestão para que leiam todo o estudo, pois é sempre incrível.

1) A incerteza é a nova certeza – a ideia aqui é clara: quem afirma que sabe o virá a seguir, está blefando. Planejar os negócios e tomar decisões orçamentárias seguem sendo itens desafiadores na agenda dos executivos do setor. Nova variante, políticas governamentais, o que mais pode atrapalhar o desejo das pessoas de viajar?

Trivago afirmou que não vai comprometer seu budget de marketing com muito tempo de antecedência, por exemplo. Flexibilidade e decisões rápidas conforme as coisas vão acontecendo é a nova ordem na empresa.

CEO da Booking Holdings, Glenn Fogel, afirmou que uma pandemia estava previsto entre os riscos em seu plano estratégico, mas se pergunta: ‘Realmente nos preparamos? E sabe a resposta: “Provavelmente não. E isso é algo que eu penso em seguir em frente. Como podemos nos preparar melhor para a próxima grande crise? Porque haverá crises o tempo todo. Eles nunca vão embora. E é isso – ser ágil, ser flexível, ser capaz de fazer mudanças rapidamente.”

2) A Grande Requalificação do Trabalho - A divisão entre trabalhadores disponíveis e vagas em aberto em viagens é grande demais para ser superada. Educar grupos pequenos de trabalhadores com novas habilidades para que trabalhem em posições diferentes é a única maneira de superar a crise de escassez de mão de obra.

As empresas hoteleiras, por exemplo, costumam apontar como seu CEO iniciou sua carreira hoteleira no departamento de manutenção ou trabalhando na recepção – muitas vezes deixando de fora detalhes como o caro programa de escola de negócios que esses executivos participaram durante sua subida ao cargo. A indústria precisa de exemplos mais concretos de mobilidade ascendente, em vez de relações públicas, para mostrar a mais trabalhadores que cargos de nível básico podem alçar uma posição de gestão.

A discussão pré-pandemia não foi tanto sobre a necessidade de qualificação. Era mais sobre a competição por talentos e como podemos fazer uma empresa ser reconhecida como um ótimo lugar para trabalhar. Agora, o setor mudou de marcha. É sobre qualificação. Agora trata-se de realmente tornar a indústria realmente mais atraente do ponto de vista da carreira, ao invés de simplesmente ser um ótimo lugar para trabalhar.

3) O Redimensionamento dos Eventos Menores, Mais locais e Híbridos - À medida que as empresas se tornam mais seletivas quanto à participação em eventos, o mercado de médio porte pode perder para os maiores participantes. As empresas priorizarão os eventos que não podem perder e pularão o resto. Eventos menores, baseados na comunidade, também sobreviverão. Eventos icônicos de grande escala continuarão a atrair – mesmo que alguns mudem de formato e continuem a experimentar componentes híbridos e virtuais. Na outra ponta do espectro, eventos de pequenas empresas que constroem a comunidade e têm um custo relativamente baixo manter uma base suficiente de participantes para sobreviver. No atual clima de incerteza, muitas empresas estão sendo mais prudentes com suas decisões orçamentárias – e isso inclui fundos alocados para eventos de negócios. A possibilidade de cancelamento de eventos no último minuto apenas reforça a necessidade de cautela. As empresas agora precisam pesar os riscos do investimento inicial em relação às potenciais oportunidades perdidas de perder um evento em que todos os seus concorrentes estarão representados. É tanto uma questão de o que eles podem pagar para participar e o que eles não podem perder. Até o momento, os números já superaram os níveis de 2019 no mesmo período, com os preços subindo quase 5%.

Considerações Finais

Como dissemos acima, o estudo é realmente incrível e vale a leitura completa com mais calma.

Os caminhos para o sucesso e recuperação geral da nossa indústria são potencialmente muitos. Novo comportamento do consumidor, novas tecnologias, as teorias são muitas.

Entretanto, a forma como os hotéis capitalizam as novas tendências é o mais importante.

Uma coisa é certa: empresas hoteleiras genéricas ou impessoais terão dificuldades para sobreviver no futuro. Seu hotel deve ter uma personalidade que se conecte aos hóspedes existentes e potenciais. É um ingrediente vital para os viajantes que procuram uma experiência de viagem única. Obviamente, essa personalidade deve ser transmitida por meio de sua equipe e da própria propriedade. Cada quarto de hotel e interação humana deve refletir o que sua marca representa.  E essa personalidade também deve permear sua presença online.

Sempre que se fala em tendências, não esperemos que os valores centrais da hospitalidade se desviem. Na verdade, eles provavelmente se tornarão ainda mais importantes.

Olho nas tendências, pés no chão e coragem! Vamos em Frente!

Link para o estudo original do Skift 2022: https://skift.com/megatrends-2022/