13 a 16, set. | 2022
São Paulo Expo | SP

Metaverso e as Implicações na Hotelaria e nas Viagens

Um metaverso é uma rede de mundos virtuais 3D focados na conexão social, e Mark Zuckerberg (CEO Facebook – agora Meta) entende que viveremos em um mundo cada vez mais virtual, mas não limitado por telas. E essa experiência imersiva virtual está chegando até nós mais rápido do que imaginamos.

‘Na próxima década, o metaverso atingirá 1 bilhão de pessoas’, afirmou o executivo. Lembrando que Snap, Amazon, Microsoft também tem suas próprias versões concorrentes desse novo mundo digital.

Eu e Paulo Salvador preparamos nossos avatares e mergulhamos no Metaverso para entender o que esperar para a indústria de hotelaria e turismo. O papo no Canal Depois das 6 analisou visões de especialistas do setor, estudos e compartilhou vídeos para exemplificar a nova realidade virtual/real proposta pelo Metaverso.

Se você tem idade suficiente para lembrar do Second Life, já teve contato com um metaverso.

Imagine um mundo hídrido de 3 realidades:

a)      Realidade Aumentada (imagens virtuais do mundo físico sobrepostas às imagens óticas)

b)      Realidade Virtual (imagens do mundo físico são substituídas pelas virtuais)

c)      Mundo físico como o conhecemos hoje.

Para ter um ‘gostinho’ do mundo Metaverso, assista o recente filme de Ryan Reynolds, ‘Free Guy’. Os óculos são a chave para enxergar o jogo como ele realmente é.

 

Fonte: wired.com - Courtesy of 20th Century Studios

De imediato, já vemos aplicação dessa tecnologia em jogos, educação, criptomoedas, experiências imersivas de compras online, etc.

Mas a realidade é que não viveremos como Neo do Matrix tão cedo. ‘Precisamos de uns 50 anos para pensarmos em algo próximo’, afirma Melanie Subin, Diretora da Future Today Institute.

Mas o que o setor de Hospitalidade pode esperar de concreto do Metaverso?

Hoje em dia já temos uma realidade virtual presente nas nossas viagens, como a navegação por satélite no nosso smartphone ou a vivência indireta das experiências das outras pessoas nas redes sociais. Mas será que isso substituirá o desejo de viajar no mundo real?

Quem afirma que sim se baseia, por exemplo, na rapidez da adaptação do mundo no trabalho remoto.

Quem afirma que não, usa os sentidos como argumento, ressaltando que será muito difícil sentir a sensação da brisa do mar, replicar os respingos de água no corpo, ou o aroma das plantas trazido pelo vento. O Metaverso não oferece isso....ainda.

Vamos então analisar alguns pontos:

·       Experiência do Hóspede - Desde processos de reserva perfeitos e experiências de estadia únicas até ofertas de pacotes valiosos, há uma grande demanda por uma experiência otimizada do hóspede. Um passeio no hotel em 3D, por exemplo, pode dar aos hóspedes uma sensação de confiança na tomada de decisão e aumentar as taxas de conversão de reservas diretas. Estamos falando do famoso ”experimentar antes de comprar”.

·       Viagens de Lazer - Em um mundo que oferece "interoperabilidade sem precedentes", os avatares podem desempenhar um papel cada vez maior nas viagens de lazer. Várias companhias aéreas, como a Boeing, estão trabalhando com projetos de engenharia 3D imersivos para construir a produção de serviços aéreos em um único ecossistema digital.

·       Recursos Humanos - Desde reservas e prestação de serviços até a venda de propriedades, avatares podem substituir a equipe física ou até mesmo gerenciar um front office. Se isso fosse possível, os desafios trabalhistas dentro do setor poderiam incentivar a adoção do metaverso mais rápido do que esperamos.

·       Investimentos - O Marriott Bonvoy está construindo uma presença no Metaverso e se envolvendo com os consumidores de maneira impactante e inventiva. Ele está ofertando 200 mil pontos Marriott Bonvoy (a serem descontados por estadias reais) e fornecendo quartos aos três vencedores dos sorteios dos NFTs (token não fungível = criptoativos colecionáveis exclusivos, como um certificado de autenticidade que não pode ser substituído, dividido ou compartilhado). Ou seja, eles se tornam investidores da marca.

·       Novo Canal de Vendas - Vale ficar de olho em hotéis que se engajarão no crescente mundo das plataformas de realidade virtual, talvez vendendo quartos de hotel ou hotéis inteiros. A moeda de troca pode muito bem ser criptográfica, mas uma vez que você começa a movê-la, essa criptomoeda será gasta como dinheiro real. Essa é uma razão para a Marriott e outras marcas considerarem entrar nesse novo canal de vendas.

·       M.I.C.E. - A indústria de viagens de negócios é composta em grande parte por M.I.C.E. e esss hóspedes pagam 17,5% a mais do que os hóspedes a lazer. O Metaverso tem a capacidade de transformar o M.I.C.E. em uma experiência de imersão digital da nova era. Em geral, esse é o grande foco do Metaverso na hotelaria, com percentuais: 40% MICE, 10% Lazer, 50% Hype (‘moda’, algo que dá o que falar, um exagero de alguma coisa).

Especialista afirmam que hotéis de luxo,  provavelmente em Dubai, Nova York ou Londres, seriam as primeiras a adotar o Metaverso na hotelaria, já que a jornada se propõe a ser  hiperpersonalizada e experiencial. As tendências do turismo de luxo passará por aqui.

Supondo que o metaverso ganhe força, podemos já imaginar meta-hotéis, que só existem no mundo virtual, mas com marcas reais.

Considerações Finais

As tecnologias já estão aqui. O que falta é o caminho, ou estrada, que dará suporte a essas iniciativas. E estes já estão a caminho também, com o Facebook (Meta) entrando na briga agora. Será interessante ver como tudo isso se desenrola, mas a maioria dos executivos do setor não querem criar expectativas tangíveis para os próximos 10 anos.

E você, qual sua percepção do Metaverso no futuro da viagens?

Entende que a indústria da hospitalidade é um setor de negócios precioso que enriquece vidas através da alegria visceral de viajar, comida, vinho e cultura? Já temos o planeta Terra em nosso universo e é mais incrível do que jamais poderíamos experimentar plenamente?

Ou entende que será incrível uma evolução que supera tudo o que vimos antes? E pode ser rápido, pois as pessoas odeiam mudar, mas adoram fugir.

Embora a fase 1 do Metaverso seja relativamente chata, o que vem depois será incrível. Isso significa que podemos levar a hospitalidade para casa e, portanto, sua praia favorita pode ser onde você estiver.

Tempos emocionantes pela frente!